A ceia de Natal incorpora produtos que fogem do consumo trivial das famílias. Os melhores exemplos são: Panetone, Castanhas, Nozes, Frutas Cristalizadas, entre outros. Para estes, a expectativa de preços mais convidativos no Natal de 2010 é grande, uma vez que a compra destes itens importados foi beneficiada pela valorização do real frente ao dólar, mas alguns produtos mais tradicionais subiram de preço e devem encarecer uma parte das compras em 2010.

A variação média de 17 itens que devem fazer parte das compras das famílias foi de 12,15%, entre dez/09 e Nov/10. No mesmo período em 2009, a alta média foi de 5,83%. A variação acumulada para o grupo Alimentação do IPC-M/FGV entre dezembro/2009 e novembro/2010 foi de 7,73%, acima da registrada em 2009, que foi de 3,26%.

Entre os destaques a justificar a alta em 2010, estão carnes utilizadas na ceia de Natal: Lombinho de Suíno (14,99%), Frango inteiro (10,21%) e Pernil de Suíno (9,71%) que subiram de preço em relação ao Natal de 2009. No ano passado, as variações registradas, para estes mesmos tipos de carnes, foram inferiores: (-9,58%), (-7,26%) e (-6,18%), respectivamente.

As exceções ficam por conta do Bacalhau – que continua a apresentar queda em seu preço – registrando variação de (-4,15%), em 2010, ante (-16,62%), em 2009 e do Frango Especial, que apresentou queda de 8,55%, em 2010, depois da alta de 5,26%, em 2009.

Ainda no levantamento feito pelo economista André Braz, outros importantes complementos de mesa também registraram alta em seus preços entre Dez/2009 e Nov/2010, como: Frutas (10,90%), Vinho (6,39%) e Arroz Branco (2,53%).