Badminton, golfe e rugby são alguns dos esportes que prometem ser destaques nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Por Claudio Carneiro, para o site Opinião e Notícia.

“Os Jogos Olímpicos sempre reservam surpresas para o público. Certas provas revelam esportes estranhos à nossa cultura mas que despertam interesse e curiosidade. Foi assim que nos apaixonamos – nas Olimpíadas de inverno de 2010 – pelo curling, aquele jogo coletivo disputado em uma pista de gelo onde o objetivo é lançar – deslizando – pedras de granito o mais próximo possível de um alvo, utilizando para isso a ajuda de atletas equipados com vassourinhas. Curioso é que alguns desses esportes já têm até suas associações no país.

Dizem os fãs da escritora J.K.Rowling que o Quadribol, esporte dos bruxos na série Harry Potter, é inspirado nas regras de rugby, basquete, futebol e futebol americano, com o auxílio do meio de transporte da categoria: a vassoura. A combinação de dois ou mais esportes, ou sua adaptação para outro território, pode resultar em outras modalidades como o futevôlei, por exemplo, ou nos deixar confusos diante da tela de TV: “afinal, o que está sendo exibido é rugby ou futebol americano? E qual é a diferença entre o softball e o baseball?”

A primeira vez que o mundo moderno assistiu, por exemplo, a uma partida de badminton, foi nos Jogos Olímpicos de 1974, em Munique, como esporte de demonstração. Reconhecida a relevância do jogo pelo Comitê Olímpico Internacional, o badminton passou a valer medalhas nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992. A popularidade do esporte – principalmente na Ásia – foi comprovada quando 1,1 bilhão de pessoas assistiram aos oito dias de competição na televisão. Nascido na Grécia Antiga, o jogo ressurgiu na Índia no século 19 com o nome de “Poona” sendo levado pelos colonizadores para a Inglaterra. Daí o nome badminton – a propriedade em Gloucestershire onde os ingleses despertaram para esta nova paixão – um misto de vôlei, tênis e peteca, se é que isso é possível. Lembra o vôlei porque tem uma rede no meio da quadra. O tênis, pois se usam raquetes. Já a “bola” é uma pequena e leve peteca. Os jogos duram, em média 45 minutos e são disputados em games de 21 pontos. O vencedor é o que ganhar primeiro dois games. Se houver empate no game em 20 pontos, vencerá aquele que abrir dois de vantagem. Havendo empate até os 29, vencerá aquele que fizer primeiro os 30 pontos…”

Leia na íntegra aqui.