Até parece que o genial Raul Seixas havia previsto a pandemia do coronavírus. Nos primeiros versos de “O dia em que a Terra parou” Raulzito anteviu um dia sem atividade ou trabalho. “O empregado não saiu pro seu trabalho, sabia que o patrão também não estava lá”, cantava ele.

A pandemia do novo coronavírus, o Covid-19, provoca mudanças comportamentais em âmbito mundial. Pela primeira vez, o brasileiro exibe no rosto aquelas máscaras cirúrgicas descartáveis, demonstrando temor em contrair a doença. Preocupado, ele descobre que 75% da população não têm plano de saúde. E pior, que menos da metade (44%) dos leitos de UTI estão no Sistema Único de Saúde (SUS).

Nas redes sociais, fakenews de todos os matizes políticos apontam riscos, ameaças e curas sem qualquer fundamento. A era da desinformação está a todo o vapor. No entanto, é preciso buscar a informação relevante e sem erros.

Eventos culturais e esportivos estão sendo cancelados nas principais cidades do mundo. Todos os espetáculos da Broadway foram suspensos em Nova York, assim como partidas de futebol em Londres e outras capitais. Depois de Itália, Espanha, Holanda e Portugal, foi a vez da França suspender todas as competições pelo menos até o começo de abril. E a expectativa é de que a Alemanha faça o mesmo.

Coronavírus ultrapassa a Fórmula 1

A velocidade com que a pandemia correu o mundo superou até mesmo a Fórmula 1. Vice-presidente da comissão médica da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o brasileiro Dino Altman disse que a entidade foi surpreendida. “Não estávamos preparados para o surto que se espalhou pelo mundo”. O avanço da doença provocou o cancelamento do primeiro GP da temporada, na Austrália. Nesta sexta-feira (13), as corridas previstas para o Bahrein e Vietnã foram temporariamente desmarcadas.

No âmbito político, os líderes mundiais agem por conta própria, sem um protocolo planetário e conjunto para salvar vidas. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu o adiamento das Olimpíadas por um ano. O COI e os organizadores de Tóquio-2020 mantêm posição e confirmam que os Jogos serão abertos em 24 de julho.

A Terra parou também na Argentina. Depois que o país registrou a primeira morte por Covid-19, voos para a Europa, China e Estados Unidos foram suspensos. A medida terá validade por 30 dias.

Até mesmo o famoso DJ Alok informou que vai cancelar suas turnês pelos Estados Unidos e pela China. O artista destaca sua prioridade com a saúde do seu público, equipe e colaboradores, “responsáveis pelo sucesso de sua carreira”.

O drama pode retardar, ainda mais, a lenta justiça brasileira. O Tribunal do Rio de Janeiro cancelou, por 60 dias, audiências e sessões de julgamento de primeiro e segundo graus. A decisão, tomada esta semana, também suspende por 14 dias os prazos dos processos físicos.

Diante da falta de um remédio específico ou de vacina para combater o vírus, é importante o esforço de cada um. No Brasil, médicos e autoridades de saúde temem o colapso de nosso sistema de saúde. E pregam o envolvimento da população no combate ao avanço da contaminação, especialmente sobre os mais vulneráveis: os idosos. Aqueles que têm mais de 60 anos – e que conviveram com o talento de Raul – requerem mais cuidado e atenção.